Wednesday, March 16, 2011

As Armas da 1 guerra mundial

Catapulta

Catapultas são mecanismos de cerco que utilizam um braço para lançar um objeto à uma grande distância, evitando assim possíveis obstáculos como muralhas e fossos. Fora criado possivelmente pelos gregos, durante o reinado de Dionísio I[1], como arma de guerra.
O nome é derivado do grego καταπάλτης, composto de κατά "abaixo, contra" e πάλλω "vibrare". Originalmente, a palavra catapulta referia-se a um lançador de pedras, enquanto balista referia-se a um lançador de dardos, porém, através dos anos, os dois termos trocaram de significados.
Catapultas eram usualmente montadas no lugar do cerco, e um exército carregava algumas ou nenhuma de suas peças consigo porque madeira era bastante disponível no lugar.

 


O Kaiser Wilhelm Geschütz foi um canhão ferroviário de longo alcance criado pelos alemães em 1918, para bombardear Paris. Erroneamente conhecido como Big Bertha (ou Big Berta) (nome de um obuseiro de 420mm utilizado contra Liége), o Kaiser era um projeto ambicioso, que pretendia bombardear um alvo a 130 Km de distância da frente alemã (até esta data, o máximo que um obuseiro alcançara foi 95km).
O canhão Kaiser ou canhão da Colonbia era, na verdade, um obuseiro (tubo que dispara projéteis em trajetórias parabólicas). Causou um grande impacto sobre a moral do mundo, pelo seu feito inédito. Suas granadas detinham o recorde de altitude lançado por um artefato humano (42km de altitude), recorde que só foi quebrado em fins de 1944 pelas bombas V2.

O funcionamento

O Canhão de Paris foi uma arma como nenhuma outra, mas as suas capacidades não são conhecidas ao certo. Isto é devido à aparente total destruição dos alemães na ofensiva aliada. Os números anunciados para a arma do tamanho, alcance e desempenho variam muito, dependendo da fonte - nem mesmo o número de cartuchos é certo.
A arma era capaz de arremessar 94 kg (210 lb) reservados para uma distância de 130 quilômetros (81 milhas) e uma altitude máxima de 40 quilômetros (25 milhas) - a maior altura alcançada por um projétil feitas até o primeiro vôo de teste do V-2, em outubro de 1942.
No início de sua trajetória de 170 segundos, cada artefato a partir do Canhão de Paris atingiu uma velocidade de 1.600 metros por segundo (5.200 pés/s).


A Metralhadora Leve Hotchkiss M1922 é uma arma de origem francesa do início do século XX. Foi inicialmente adotada pelo Exército Francês em 1909, no calibre 8mm Lebel (8X50R); e posteriormente, por influência da Missão Militar Francesa, pelo Exército Brasileiro em 1922, no calibre 7mm Mauser (7X57). Nos países de língua latina é conhecida como Hotchkiss M1909 Benet-Mercie, e nos de língua inglesa, como Hotchkiss Mark I.
No Brasil essa arma foi adquirida para uso pela Cavalaria devido a seu baixo peso, porém como fora projetada para utilizar cartuchos com projétis arredondados, passou a apresentar problemas após a adoção da munição com projétis pontiagudos; sendo lentamente desativada.



Granada de mão (do francês grenade; do latim granatum, "romã"/ granum, "grão") é um artefato bélico com uma câmara interna que leva uma carga de arrebentamento, o qual em geral se lança a pequena distância com as mãos ou com o auxílio de uma arma de fogo (fuzil).
A Granada surgiu na China Medieval, durante o século IX, era feita de cebola seca, e enchida com pólvora, usava-se para destruir muros, forticações etc.
Antigamente era um projetil com a forma de romã, que se enchia de pólvora, à qual se lançava fogo. Era uma arma explosiva utilizada por tropas especiais (os granadeiros) do século XVII até o século XIX. As granadas modernas datam do início da Primeira Guerra Mundial.

Postado por Gabriel Mazia N° 7


 

No comments:

Post a Comment

Post a Comment